Índice do artigo

Votos do utilizador: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

O Banco de Horas é uma forma de organização do tempo de trabalho em que o período normal de trabalho (8h/dia ou 40h/semana) pode ser aumentado diária e semanalmente.

Fonte: ACT - Autoridade para as Condições no trabalho

Alteração das condições contratuais
Banco de Horas - Artigo n.º 208 do Código do Trabalho
Como funciona o Banco de Horas

Como funciona

O Banco de Horas pode ser instituído por Instrumento de Regulamentação Coletiva de trabalho (IRCT - qualquer tipo de contrato coletivo de trabalho), por Acordo Individual (contrato individual de trabalho) ou Acordo Grupal (aplicável ao departamento, secção, unidade ou equipa).

O Banco de Horas é um mecanismo previsto no Código do Trabalho (CT) em vigor - aprovado pela Lei 7/2009 de 12 Fevereiro - que permite ao trabalhador acumular horas extra (trabalho suplementar) fora do seu horário normal de trabalho.

Desde 1 Agosto 2012 que o trabalho suplementar deixou de dar direito a descanso compensatório (consultar os pontos 2 e 3 do artigo que encontra aqui), passando a ser exclusivamente pago da seguinte forma:

  • Primeira hora extra em dia útil de trabalho "normal", acrescenta 25% ao valor diário do salário base.
  • Horas seguintes em dia útil de trabalho "normal", acrescenta 37,5% ao valor diário do salário base.
  • Horas extra em dia de descanso semanal ou feriado, acrescenta 50% ao valor diário do salário base.

Todos os trabalhadores do setor público e do setor privado vão ter Banco de Horas.

Se o trabalhador ESTIVER abrangido por um IRCT (ver referência no contrato de trabalho) que permita a alteração do regime de organização do tempo de trabalho, então o trabalhador fica abrangido por qualquer alteração que o empregador faça em matéria de regime de organização do tempo de trabalho, incluindo o Banco de Horas, se essa for a alteração em causa.

Se o trabalhador NÃO ESTIVER abrangido por um IRCT, então apenas por acordo individual é que fica sujeito às regras da organização do tempo de trabalho em regime de Banco de Horas.

No caso do Banco de Horas individual para a função pública ser equiparado ao do sector privado, o trabalhador poderá trabalhar mais 2 horas por dia, até 150 horas de trabalho suplementar por ano.

No caso do Banco de Horas grupal implica que toda a equipa, departamento, setor ou delegação, por exemplo, possa ser abrangida pela medida, desde que uma maioria (75%) dos trabalhadores seja afectada.

A trabalhadora grávida, puérpera ou lactante, bem como qualquer dos progenitores em caso de aleitação (quando a prestação de trabalho neste regime afete a sua regularidade; ver art. 58 do CT), tem direito a ser dispensada/o de prestar trabalho em horário organizado de acordo com o regime do Banco de Horas.

NOTA: De acordo com a informação que uma utilizadora nos deixou, o trabalhador pode tirar horas do banco das horas quando quiser (em acordo com o empregador), podendo tirar 4 horas num dia para ir ao médico, por exemplo, ou um dia inteiro, ou junto às ferias. As horas retiradas ao banco de horas dão direito a subsídio de refeição, ou seja, o trabalhador receberá subsídio pelos dias em que não foi trabalhar. No entanto, se a empresa decidir mandar o trabalhador para casa durante 1 ou 2 dias, também poderá retirar as horas não efetuadas do banco das horas.

Anónimo
anonimo disse:
boa tarde devido ao estado de emergengia no pais a empresa onde trabalho vai dispensar 1/3 dos trabalhadores e querem que fiquemos com horas negativas durante esse tempo pagando-nos o ordenado mas ficando com as horas a negativo gostaria de saber se e legal durante o estado de emergencia

Beatriz Madeira
Lamentamos não ter informação de como vai operar o banco de horas nesta nova situação nacional pelo que sugerimos que procure contactar o sindicato, no caso de haver, ou a ACT - Autoridade para as Condições no trabalho, cujos contactos encontra em https://sabiasque.pt/familia/noticias/2352-denunciar-ou-apresentar-queixa.html
anonimo
Banco de horas
boa tarde devido ao estado de emergengia no pais a empresa onde trabalho vai dispensar 1/3 dos trabalhadores e querem que fiquemos com horas negativas durante esse tempo pagando-nos o ordenado mas ficando com as horas a negativo gostaria de saber se e legal durante o estado de emergencia
Andreia Araujo
Banco de horas
Bom dia!
Eu trabalho no sector privado, é gostaria muito de saber se é possível retirar o banco de horas !?
Porque os trabalhadores não têm acesso ao banco de horas, já que compromete o seu salário no fim do mês !?
Obrigado, é aguardo a vossa resposta

António Manuel Freitas oliveira
Resposta
Claudio Costa disse:
Boa noite

trabalho no sector privado e foi me pedido que trabalha-se na minha folga que calha 1 de janeiro ( feriado)

Segundo o que me diz a entidade empregadora eu só tenho direito a 8 horas de banco

Ou seja..basicamente trabalho na folga e só me dão outro dia de folga em horas de banco acabando assim por não ter qualquer benefício

É correcto?
Obrigado

Nao terá que ser compensado como feriado

André
Banco de horas vs Horas extra
Eu tenho a mesma dúvida! Uma hora extra passa a valer o mesmo que uma hora? Não tem a a majoração associada às horas extra? Ou dão-me as horas em banco exactamente igual às que trabalhei e pagam a majoração?
Obrigado

Claudio Costa
Horas de banco
Boa noite

trabalho no sector privado e foi me pedido que trabalha-se na minha folga que calha 1 de janeiro ( feriado)

Segundo o que me diz a entidade empregadora eu só tenho direito a 8 horas de banco

Ou seja..basicamente trabalho na folga e só me dão outro dia de folga em horas de banco acabando assim por não ter qualquer benefício

É correcto?
Obrigado

Ana Marques
banco de horas e subsidio de alimentação
Boa tarde , gostaria de saber se no caso de gozo de banco de horas for dias inteiros , a entidade patronal pode descontar o subsidio de alimentação ?
Luis
Boa tarde. Gostaria de saber apenas algumas informações. Se alguém me poder ajudar agradeço. Á questão é a seguinte a minha atual empregadora deve-me de banco de horas de 2016 um total de 19.5 dias de horas extras, mas agora decidiu que me quer pagar em vez de me dar em tempo de férias. Quais são os direitos que tenho sobre isso ? Ela tem de me pagar esses dias a dobrar ?.
Aguardo uma resposta e agradeço a quem me possa ajudar.

Cumprimentos

Beatriz Madeira
Se se trata de trabalhador por conta de outrem no setor privado, o cálculo deverá ser feito de acordo com os valores para o trabalho suplementar em vigor:

Primeira hora extra em dia útil de trabalho "normal", acrescenta 25% ao valor diário do salário base.

Horas seguintes em dia útil de trabalho "normal", acrescenta 37,5% ao valor diário do salário base.

Horas extra em dia de descanso semanal ou feriado, acrescenta 50% ao valor diário do salário base.

Jose Oliveira
Durabilidade do banco de horas
Boa noite, gostaria que me esclarecessem se o banco de horas tem prazo! A minha entidade empregadora está neste momento a descontar horas de 1ano atrás . Agradecia a informação
Cumprimentos,
José Oliveira

Irene Silva Duarte Pina
Banco de horas
Boa noite, gostaria que me esclarecessem se o banco de horas tem prazo! A minha entidade empregadora deu-nos um documento para assinarmos em como as horas dadas venciam no prazo de 90 dias. Isso é legal? Penso que tem duraçao de um ano e nao 90 dias. Agradecia a informaçao.
Raul almeida
Banco de horas negativos
Boas eu tenho um contrato de 40h semanais e funciono com um banco de horas. O meu horario de trabalho actualmente é de 35h e ainda me retiram 30 minutos por cada turno que faço, ou seja, segundo o meu empregador faço cerca de 31 horas por semana. A minha pergunta é tendo eu um contrato de 40h semanais e tendo o meu empregador me dado um horario com apenas 35 horas semanais ele pode me obrigar trabalhar noutra altura a trabalhar 45h semanais para compensar ou nao?

Obrigado

Manuel Santos
Banco de horas negativo
Boa tarde,

A empresa onde trabalho no ano passado teve uma redução de trabalho e mandou-me ficar em casa obrigatóriamente porque diziam não ter trabalho. Agora no principio do ano informam que tenho 100 horas negativas e tenho que as compensar, será isto legal?

OBRIGADO

rui silva
pedido deajuda
Boa noite;desejava saber se ao assinar o contrato do banco de horas;o mesmo não é para ser feito durante os meses todos do ano;ou o patrão pode decidir a quando pode fazer?Já agora;a alguma possibilidade de poder cancelar o meu contrato e como o devo fazer???
Cátia Santos
Banco de horas em viagem
Boa tarde,

o meu esposo trabalha com banco de horas e para além disso ficou estipulado em contrato de trabalho que receberia o valor de 50€ por cada deslocação que fizesse, isto porque ele faz reparações em vários locais do país.
Houve no mês passado 2 dias em que ele teve que passar a noite fora pois a deslocação foi para o Funchal. Foi-lhe pago o tal valor de 50€ por cada dia.

Desta vez, ele foi para uma formação nos EUA durante 5 dias, sendo que o primeiro dia foi um Domingo.

Ao receber o salário, verificámos que em nenhum dos dias lhe tinha sido pago o valor acordado!

A justificação por parte da empresa é que sendo uma formação ele não tem direito visto que a viagem e estadia já foram pagos pela empresa.
Também não pode pôr horas no banco de horas porque não esteve lá a trabalhar fora do horário normal.

No entanto ele esteve fora de casa. Este valor não deveria ser pago tal como quando foi para o Funchal?

Ou no mínimo colocar as horas em Banco de Horas!!

Maria Matos
Banco de horas
Na empresa onde trabalho já fazemos banco de horas desde que a lei saiu, gostaria de saber até quando a empresa pode aplicar este maldito banco de horas.
Paula Santos
Banco de horas
Exmos Senhores,
eu trabalho no Continente no Shopping de Oeiras Parque, atualmente estamos rodeados num ambiente de trabalho péssimo, pois as chefias têm estado a pressionar os funcionários para que não assinem nada que vá contra a lei do banco de horas, caso contrário iremos sofrer represálias.
Chegam a fazer chantagem psicológica dizendo que quem assinar contra poderá colocar o seu posto de trabalho em risco, para pensarmos bem, pois tal atitude poder-nos-ia colocar numa posição tal, que nos fosse mesmo impossibilitada a hipótese de alguma flexibilidade horária para podermos dar assistência familiar mesmo em casos mais dramáticos.
A identidade patronal, insiste em que não devemos nem há qualquer interesse para o funcionário assinar contra. Segundo eles, os operadores só farão horas extras caso tenham disponibilidade para tal e que a obrigatoriedade nunca será imposta pelas chefias.

Ao falarmos entre nós, ponderamos fazer um baixo assinado, e é neste âmbito que recorro a V.Exas para que nos ajudem a redigi-lo e nos elucidem da melhor forma para procedermos para que não haja mal entendidos e represálias.

O nosso objetivo, não é não sermos flexíveis nem não ajudarmos a empresa, até porque todos (salvo raras exceções), sempre fizemos bastantes horas extras e nunca cobramos nada, apenas queremos que sejamos respeitados.

Agradeço toda a atenção dispensada por V.Exas,
Atentamente
Paula Santos

4000 Caracteres remanescentes


O Governo adiou o prazo para marcação de férias até 10 dias após o final do estado de emergência. Férias Laborais - Marcação de férias desde 2013

Comentários Recentes

Sofia Morais
9 horas 21 minutos

Boa noite precisava de ajuda para o seguinte, se possível: comecei a trabalhar a 01/03/2019 contrato a termo certo de 6 mese ...

Carmen Santos
15 horas 34 minutos

Boa tarde, gostaria de saber se a entidade patronal que recorreu à medida de estímulo de emprego, pode cessar contrato com ...

Carla Bessa
18 horas 34 minutos

Bom dia, Iniciei o meu contrato de trabalho com a empresa em 15 de outubro de 2018, renovando-se automaticamente por períod ...

Manuel Nogueira
1 dia 7 horas

Exmos Senhores A minha esposa sofre de uma doença cronica chamada colite ulcerosa a vários anos tem 58 anos e agora fico ...

Claudia
3 dias 23 horas

Pode ser enviada a rescisão via email com declaração para o fundo desemprego?