Skip to main content

Trabalhadores em Mobilidade Especial podem exercer Funções em IPSS

Foi celebrado um novo protocolo que cria condições para que os trabalhadores colocados em situação de mobilidade especial, se assim o entenderem, venham a exercer funções em Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS).

Logo Ministério das FinançasCom este protocolo o Estado visa dinamizar a celebração de protocolos entre a Empresa de Gestão Partilhada de Recursos da Administração Pública E.P.E. (GeRAP) e as IPSS, de modo a “permitir que aqueles trabalhadores possam vir a exercer funções nestas instituições, traduzindo uma dupla vantagem: para os trabalhadores, a possibilidade de exercer uma actividade profissional; para as IPSS, um instrumento adicional de contratação de trabalhadores com qualificações adequadas para contribuir para a prossecução da sua missão socialmente relevante”.

Fica previsto o pagamento de 70% da remuneração base que o trabalhador detinha no serviço de origem, à data da colocação em situação de mobilidade especial, por parte do Estado, ficando a IPSS com a responsabilidade de pagar o restante, o que “constitui também um reconhecimento do interesse público da actividade destas instituições”.

A cerimónia de assinatura do protocolo, entre o Ministério das Finanças e da Administração Pública (MFAP) e a Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade Social (CNIS), realiza-se hoje, dia 21 de Abril, na sala do Conselho do MFAP.

Data: 21-04-2010

Fonte: Portal do Cidadão com MFAP

Consulte

"A Economia Social pode ser a Mão Invisível das Misericórdias"  - 29-05-2012

 

  • Criado em .
  • Última atualização em .