Votos do utilizador: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

A Linha Nacional de Emergência Social (LNES) serve para protecção e salvaguarda da segurança dos cidadãos em situação de Emergência Social. É um serviço público gratuito de âmbito nacional que funciona 24 horas por dia, 365 dias por ano, disponível através do número de telefone 144.

Público-alvo

Cidadãos em situação de Emergência Social.

Grupos prioritários

Crianças e jovens em perigo

Idosos em situação de abandono

Pessoas vítimas de violência doméstica

Pessoas em situação de sem-abrigo.

Objectivo Geral

Accionar uma resposta social imediata para as situações de emergência social e assegurar a acessibilidade a um posterior encaminhamento/acompanhamento social, numa perspectiva de inserção e autonomia.

Objectivos Específicos

Identificar e dar resposta imediata a situações de emergência social;

Encaminhar as situações de emergência, em que exista perigo para a integridade física, psicológica e social dos indivíduos, para serviços prestadores de cuidados e acolhimento;

Garantir condições de protecção a situações de vulnerabilidade com risco associado;

Sinalizar e encaminhar para acompanhamento situações de grave exclusão social.

Organismos com os quais existe articulação

Centros Distritais de Segurança Social/ Serviços Locais de Acção Social

Associação Portuguesa de Apoio à Vítima

Câmaras Municipais e Juntas de Freguesia

Comissão de Protecção de Crianças e Jovens

Consulados/ Embaixadas

Guarda Nacional Republicana

Hospitais e Centros de Saúde

Instituições Particulares de Solidariedade Social

Linha de Emergência Infantil

Linha de Emergência Nacional – 112

Linha do Cidadão Idoso

Linha SOS Voz Amiga

Linha Vida – SOS Drogas

Organizações Não Governamentais

Polícia de Segurança Pública

Santa Casa da Misericórdia

Serviço de Estrangeiros e Fronteiras

Serviço Nacional de Protecção Civil

 

Fonte: Segurança Social

Virgilio Augusto Pacheco Martins
Pedido de emrgencia social
Exmos Sres,
Venho com este informar que estou a tentar ligar para o 114(Linha emergencia social) e não consigo,pois a operadora informa que este numero não se encontra disponivél.
Vou adiantar o assunto que pretendo apresentar.
Tenho 70 anos a minha Esposa tem 65 anos e por motivo de incumprimento ao banco,estamos em vías de saír da casa onde vivemos (unica casa de familia),sou pensionista com 250€ mês a minha Esposa é pensionista com 350€ mês,a mensalidade da hipoteca é de +- 600€ eu estou a pagar neste momento 150€ e a situação já está na fase de venda por parte do banco,derivado ás dividas que tenho com bancos e finanças e apesar de eu tentar vender algo para sobreviver o rendimento não chega e duvido que chegue para pagar uma renda de casa,não sei o que fazer,esta situação surgiu em 2007,pois eu como Empresario Individual tinha uma Empresa em Stª Marta do Pinhal-Corroios onde eu fazia a minha actividade Profissional,era daí que eu tirava o meu sustento,entretanto o terreno onde estava instalado este parque industrial,foi comprado em 2005 pelo Metro Sul do Tejo MTS,e apartir daí a entidade anterior da qual havia um contrato de aluguer deixou-me ao abandono e em Setembro de 2007,fui proibido de entrar nas Instalações do MTS,acionei uma providencia cautelar para reaver os meus bens,e quando foi para chegar a um acordo com o MTS para levantar os meus bens,cheguei ás instalações e as mesmas tinha sido destruidas e todas as maquinas e um compressor de 200kg. tinha sido roubado,o prejuizo ronda á volta de 100.000€ o MTS disse que ía chegar a um acordo comigo,até hoje não houve qualquer acordo,coloquei já duas ações em Tribunal,mas por problemas financeiros não tem havido desenvolvimento,estou neste momento aguardar apoio da segurança social para desenvolver ação contar MTS.
Eu estou a contar toda esta situação porque a minha desgraça começou nesta altura ,Setembro de 2007,vim para casa trabalhar,comecei a dar o trabalho a executar á concorrencia,o que está acontecer neste momento é que só tenho ente 10 a 15% dos Clientes que tinha na altura,a margem de lucro é bastante baixa o que me levou já a recorrer á AMI Almada e ao Banco Alimentar Contra a Fome,Igreja Gameiro Laranjeiro,e ajuda da filha e amigos se não for ajudado,concerteza serei eu e a minha Esposa,mais dois sem Abrigo.
Aguardo noticias
Os meus cumprimentos
Virgilio Augusto Pacheco Martins
Anabela Coelho Ferreira Martin
Avª Prof. Egas Moniz,12-8º esqº
2800-064 Almada
Telm.917412292

4000 Caracteres remanescentes


De acordo com o Portal do Eleitor: "Portugal é um Estado de direito democrático, baseado na soberania popular, no pluralismo de expressão e organização política democráticas e o...

 

Comentários Recentes

Jaime David Magalhães Coelho
6 horas 31 minutos

A minha pensão costuma ser paga a dia 8 de cada mês. Se apanhar um fim de semana passa para o dia útil seguinte. Como o di ...

Maria Teresa
15 horas 21 minutos

Venho por este meio solicitar que me enviem a minuta de proposta de acordo de pré reforma, caso seja possível. Cumprimento ...

Anónimo
1 dia 4 horas

Bom dia, estou registada na Segurança Social Direta. E tentei adquirir o Cartão de Saúde Europeu através do site a até a ...

Maria do Céu
1 dia 8 horas

Necessito de declaração passada pelos serviços do Inst. Seg. Social para renovação do cartão de beneficiário da ADSE. ...

Abilio
2 dias 3 horas

foi reformado por velhice em junho de 2017, com 66 anos e 3 meses com uma reforma de 285.93 mensal requeri o complemento par ...